segunda-feira, 30 de novembro de 2015

CERIMÔNIA HOSSEN SHIKI Combate do Darma de Monja Heishin 11 de novembro de 2016




O imperador Wu de Liang perguntou a Bodidarma:
Qual o mais alto significado das verdades sagradas?
Bodidarma respondeu:
Vazio! Nada sagrado!




HOSSENSHIKI DARMA COMBATE de Monja Heishin

Sexta feira, 11 de novembro de 2016, às 20h


Um momento importante na trajetória religiosa de uma monja zen budista. 
O Darma Combate, em japonês, Hossenshiki, é uma prova pública onde a noviça manifesta o seu entendimento dos ensinamentos de Buda. E, trata-se da confirmação dos votos monásticos.

Celebração: Representante Oficial da Soto Shu Reverendo Junnyu Kuroda Roshi, Professora de Treinamento Reverenda Coen Roshi e Shusso: Monja Heishin




Templo Taikozan Tenzuizenji - Comunidade Zen Budista
Horário: 20h00 
Rua Desembargador Paulo Passaláqua, 134 - Bairro do Pacaembu - São Paulo
Informações: zendobrasil@gmail.com



sábado, 31 de outubro de 2015

25 de outubro de 2015 - Vladimir Herzog






Domingo, dia 25 de outubro, na Catedral da Sé, lembrou-se os 40 anos da morte violenta de Vladmir, Vlado Herzog.
A manifestação popular fez recordar os tempos onde as vozes eram pela Democracia, Diretas Já...
Assim, escrevi o seguinte texto o qual compartilho com vocês:

A mente clara e lúcida sabe identificar toda e qualquer forma de violência.
O sistema autoritário da violência cria "verdades".
O olhar atento as desconstroem.
O suicídio simulado pela "inteligência da violência estrutural" foi desvendado pela "mente lúcida", por tortura seguida de morte.
Sendo Vladimir, Vlado Herzog, vítima da violência de uma estrutura de poder, que possamos desenvolver em nós o olhar em profundidade.

E, nos dias de hoje, diante de tantos fatos anunciados e enunciados, pergunto se ainda não estamos sendo iludidos e deludidos por falsas circunstâncias, como o "suicídio" de Herzog.
As estruturas de poder, na lógica da cultura de violência, criam falsas verdades, mobilizando todo nós ao desânimo, à descrença, à desagregação.
Que possamos olhar em profundidade e desenvolver a necessária lucidez para identificarmos todas as causas e formas de violência que nascem no campo das idéias até ao extremo das agressões físicas.
E, desenvolvermos a percepção das reais necessidades humanas e de todas as formas de vida.
Não reproduzir em nossas ideias e ações, a violência que condenamos.
Realizarmos uma revisão rigorosa em nossas visões de mundo e de gente.
Interesses políticos partidários também geram violências.
Hoje, não é mais o regime militar da ditadura, mas, sim, o regime de partidos políticos que se degladiam diante de nós, por interesses de poder, destruindo instituições e ideais constitucionais.
E, assistimos como algo comum, normal, nos acostumamos, sem dar abertura à reflexões.
A pureza da Democracia, de uma sociedade participativa, justa, equânime, deve permanecer e ser alimentada em nossos corações, visando o bem estar de todos e de todas as formas de vida que compartilham o espaço de convivência.
A inteligência da não-violência-ativa surge, emerge desses corações sinceros e abertos ao novo.
Mas, é preciso cuidar, estudar, nos alfabetizarmos para essa linguagem e ações, e esse exercício é no local onde estamos.
Vlado Herzog, após 40 anos de sua morte, vive suscitando reflexões, nos mobilizando a todos à necessária lucidez de um urgente mergulho à Cultura de Paz e Não Violência Ativa.
Não nos deixemos levar...levemos, elevemos...
Conheçam o site: www.comitepaz.org.br
E, pratiquem a respiração consciente, no Zendo Brasil, onde nossa consciência se ampliará naturalmente.
Mãos em prece




Mudanças, Transformações


Dizem que não devemos ter outra cabeça sobre a nossa..
Mas, o que fazer quando a cabeça de apoio é a de Buda?
E a de cima é de um pássaro?
Onde está então a minha cabeça?
No encosto da cadeira?
Não...
A cabeça do observador que agora observa...
Ah! me achei
Me achei Buda
Pássaro
...
Canta o Sabiá....


quinta-feira, 29 de outubro de 2015

Olhar em Profundidade é perceber o que não se vê



Na moldura do grande portal secular a floresta exuberante manifesta vida morte
Está lá
Está em sua mente
O que sustenta toda essa vida?
Da arquitetura cultura 
O pensamento criador de espaços
O sentido alí direcionado
Um observador
Um observado
Ecossistema vivo, pulsante
Você não é ele
Mas ele é tudo de você
Agir movido por aquilo que não se vê
Ver tudo aquilo que faz você agir
Inspirar
Expirar
Portal da consciência desperta
Aberta
sob seus pés
Na planta
Dedos raízes
Orvalho da lágrima contentamento
Bate
Bate
Shin
Coração mente sem obstáculos
Sem obstáculos
Logo sem medo
Distante de toda as delusões...
Isso é Nirvana
Emana
em
Profundidade
Com tudo o que existe



sexta-feira, 15 de maio de 2015

Oficina no Cepam sobre Criatividade na Administração Pública


A oficina sobre Criatividade Propositiva na Administração Pública - Tecendo Oportunidades e Mudanças, que aconteceu no Cepam, no dia 12 de maio, reuniu representantes do Legislativo e Executivo, municipais e estaduais, com o objetivo de desenvolver o potencial criativo para executar e avaliar políticas públicas.

"O principal objetivo é utilizar a criatividade a serviço da coisa pública", explica a docente e técnica do Cepam, Maria de Lourdes Gandra.

Com formação em Pedagogia e especialista em Gestão Ambiental, Malu Gandra tem larga vivência em mediação participativa e conferências temáticas. Para ela, "a Administração Pública necessita de agentes experientes e com visão ampla da realidade, para que possam empreender ações exitosas e socialmente mobilizadoras".

"O olhar atento do servidor o torna um incentivador de mudanças positivas. Essa é a criatividade propositiva, promotora de oportunidades e transformações", ressalta Gandra.

Para o prefeito de Macatuba, Tarcisio Mateus Abel, "sem dúvida nenhuma, o processo criativo deve ser buscado por toda a organização, especialmente as instâncias públicas. Nesse sentido, essa oficina proposta pelo Cepam vem contribuir e muito para os municípios paulistas".

"Sabemos da eficiência, do qualificado corpo técnico e da capacidade do Cepam, por isso é um privilégio estar presente e participar dos cursos dessa instituição", ressaltou o prefeito.

A técnica da Gestão do Conhecimento da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb), Cássia Cardoso, afirma que " a temática do curso é uma forma de instigar e avaliar como pode ser a atuação do agente público, talvez de uma maneira mais inovadora. Espero que todos consigam sair da oficina com essa visão".

Cássia Cardoso conta que já participou de diversos cursos e encontros no Cepam e que "com certeza, a metodologia e a dinâmica vão subsidiar o dia a dia das tarefas. Até porque foi feita uma abordagem de aspectos que comumente não são tratados: processo criativo, emoção, e como colocar esses temas em nossa atuação".



"O curso foi excelente e se é a primeira edição, o projeto deve continuar", finalizou a técnica da Cetesb.