domingo, 19 de agosto de 2012

URGENTE! Mobilização Social para Proteção das Matas em Embu das Artes e São Paulo


Plano Direitor Aprovado.
Matas comprometidas.
No CaleidoscópioZen, as cores e as ações se compõem.
Ajude a divuldar
Mobilizar redes
Novas composições para a sustentabilidade
Agora.
Saiba  mais no link do Informativo "Salve Embu das Artes"

terça-feira, 7 de agosto de 2012

Bernie Glassman em São Paulo - 2 e 3 de Setembro de 2012




Roshi Bernie Glassman é um mestre budista renomado mundialmente por seu pioneirismo no movimento Zen norte-americano e pela promoção de uma espiritualidade socialmente engajada. Ele é autor de livros, acadêmico e empreendedor de sucesso, além de fundador do movimento Zen Peacemakers, com intenso calendário de palestras internacionais. 
 

PROGRAMAÇÃO

Em adesão ao mês da Cultura de Paz

2 e 3 de setembro de 2012

Dia 02 DOMINGO


14h30 Saída da Comunidade Zen Budista para o
16h00 às 18h00

Palestra “O ativismo Social como Prática Espiritual” 
Centro Comunitário Monte Azul - Av. Thomas de Souza, 552 Bairro Jardim Monte Azul.



Dia 03 2ª FEIRA

9h30 às 11h30

Palestra “Transformando moradores de rua em cidadãos produtivos – ativismo social.”
Auditório Franco Montoro – Secretaria de Justiça e de Defesa da Cidadania do ESP
Pátio do Colégio, 148/178

18h30 às 21h00
“Meditar para transformar – uma experiência inovadora no ativismo social”.
Associação Palas Athena - Alameda Lorena 355, Jardim Paulista, São Paulo, SP

Um pouco de Bernie Glassman




Bernie Glassman nasceu em Nova York, 1939. Graduou-se no Instituto Politécnico do Brooklyn e atuou como engenheiro aeronáutico. Doutorou-se em Matemática Aplicada pela UCLA em 1970.



Em 1967 iniciou seus estudos Zen com Hakuyu Taizan Maezumi Roshi. Tornou-se Sensei em 1976 e em 1980 fundou sua própria Comunidade Zen no Bronx, em Nova York. Fundou a Padaria Greyston, inicialmente operada por alunos do Zen e voltada à sustentação da comunidade. Em 1995 recebeu o inka, ou grau de Roshi. Serviu como Orientador Espiritual da White Plum Lineage, com centenas de grupos e centros Zen no mundo todo, e foi Presidente da Soto Zen Buddhist Association of America.



Tournou-se empreendedor social em 1982 propondo a visão de que os negócios socialmente responsáveis podem ter um duplo resultado: gerando lucro e servindo a comunidade. A padaria Greyston foi o primeiro empreendimento dessa natureza, e hoje é uma pequena parte do modelo de negócios socialmente responsáveis que desenvolveu, chamado Greyston Mandala, que abriga uma rede de organizações lucrativas e outras sem finalidade de lucro, atuando conjuntamente para aprimorar a vida de indivíduos e da comunidade ampliada a sudeste de Yonkers. Esta rede, que fará 30 anos em 2012, oferece habitação, empregos, capacitação profissional, creche e atividades pós-escolares, atendimento médico e vários outros serviços de apoio para uma ampla comunidade de famílias sem teto, trabalho orientado pelos princípios do empoderamento, da empatia e ação responsável.



Fundada em 1982, a padaria nasceu num bairro pobre assolada por desemprego, violência e drogas, e começou a contratar pessoas que jamais seriam contratadas pelo mercado, e dar-lhes qualificação profissional. Anos depois eles já produziam requintados bolos e tortas, vendidos nos pontos mais exclusivos de Nova York. A padaria tornou-se um negócio bem sucedido com 75 empregados e faturamento de US$ 6 milhões. Parte dos lucros são aplicados em organizações não lucrativas filiadas, tornando a rede mais sustentável e financeiramente independente. A Greyston Mandala hoje emprega 175 pessoas e beneficia 2200 membros da comunidade anualmente. Seu modelo de integração de empresas, ongs e espiritualidade tornou-se objeto de estudo acadêmico.



Em 1994 Bernie criou a Ordem Zen Peacemakers para praticantes dedicados à causa da paz e da justiça social. O conceito se ampliou e internacionalizou através da Peacemaker Community, que ressalta a integração da prática espiritual com ação social através de três princípios: 1) Não saber, e por isso abrir mão de ideias fixas sobre nós mesmos e o universo; 2) Ser testemunha da alegria e do sofrimento do mundo; 3) Ação amorosa para nós mesmos e para o mundo.



Em novembro de 2012 Bernie Glassman e os Zen Peacemakers voltarão pela 17ª vez ao campo de concentração de Auschwitz-Birkenau, em Oświęcim, Polônia, para um retiro tradicionalmente chamado Bearing Witness Retreat. Esses retiros começaram em 1996, com a ajuda de Eve Marko e Andrzej Krajewski, e vem acontecendo todos os anos desde então.



Muito se tem escrito sobre esses retiros anuais. Ao menos meia dúzida de filmes foram rodados em diferentes idiomas. Os membros do grupo são de diferentes religiões e países, que se reúnem e passam a maior parte do dia sentados junto aos trilhos de trem em Birkenau, em silêncio por alguns períodos, e cantando os nomes dos mortos em outros. Eles andam pelos campos e fazem vigílias dentro dos galpões das mulheres e das crianças homenageando os mortos. Os participantes se encontram diariamente em grupos menores, assim formando um lugar seguro para partilhar experiências interiores. Ao cair da noite todos se encontram para dar testemunho da unidade na diversidade. Embora o próprio campo de concentração de Aushwitz seja o principal Mestre deste retiro, Bernie se encontra com outros mentores para organizar as atividades do dia e a dinâmica do retiro, caso haja necessidade.



Ele é co-autor de Instructions to the Cook: A Zen Masters Lessons in Living a Life that Matters (Bell Tower, 1996); Bearing Witness: A Zen Masters Lessons in Making Peace (Bell Tower, 1997), e Infinite Circle: Studies in Zen (Shambhala Publication, 2002).