terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Poesia para minha mestra Coen Roshi

Estações movimento,
Canto Natureza...
Transformações sutís
da impermanência
Acompanhadas pelas folhas
Testemunhas do Tempo,
nos arvoredos, arbustos, bambus, cerejeiras,
Na pupila do Olho do Verdadeiro Darma.

(Na passagem do ano, nós monges e monjas da tradição Soto Zen, fazemos preces - Sutras, à nossos mestres. Escrevemos como crianças Buda e agradecemos. Entregamos o Moti (bolinho de arroz) e oferecemos uma poesia. Essa poesia fiz para a minha mestra de ensinamentos e de ordenação Coen Roshi. Grandes congratulações! Ano Buda 2577)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Integre esse espaço...dê a sua opinião e compartilhe as suas reflexões.