quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Floresce a Primavera!


A primavera chegou!
Não isoladamente das outras estações...
Verão que se tornou outono que se tornou inverno e floresce primavera...
Estações sem paradas, na velocidade do Tempo, recadinhos do não tempo...
Nos divertimos, correndo para lá e para cá, trocando de roupas, alimentos, comentários...
A Natureza acontece, hoje, de forma ainda mais diferente... Os fenômenos das estações estão agora imprevisíveis...nos pegando de surpresa...
Chove quando não é para chover...Calor intenso no inverno...Até as aves fazem ninho fora das estações...O João de Barro precisa de chuva para molhar a terra e fazer a sua casa na árvore...hoje...nos postes das ruas...
Observe....Estações que revolvem o Tempo...Tempo que revolve as estações. Ser humano que revolve as Estações com as suas escolhas e formas de vida...estações que revolvem as ações dos seres humanos...Tsunames...revolvem o prazeirozo deitar ao sol...
Mas, a primavera chegou, e a insistente abelhinha continua o seu trabalho...pousa sobre os pólens das flores abertas e conduz seu pólen em suas patinhas para tantos outros jardins...
Vamos ser como as abelhas nessa primavera e distribuir o pólen da vida, da comunicação de paz e não violência, e sermos revolvidos pela alegria do conviver e do cuidar.
Estas...ações...estações....

domingo, 5 de setembro de 2010

Um fragmento, um momento...
Tudo estava lá. Tudo.
E parecia o começo.
O começo de tudo.
Apenas estava lá.

Foi num domingo, ensolarado, no Ibirapuera, São Paulo
Passeando vi muita gente...crianças, adultos, caminhavam com seu ar esportivo...carrinhos de salgados...algodão doce...cachorrinhos...
Um domingo no Parque.
Sentei à sombra de uma árvore, árvores...
Um casal de namorados se deitou próximo...
estenderam o tecido e lá ficaram curtindo o ar de ...domingo...
O cisne que desfila nessa foto veio me visitar, em busca de alimento. Como não tinha nada a oferecer-lhe, foi embora...
Lá permaneci...fiz zazen...
Tudo estava lá...lá estava tudo...
....domingo...
Mas, repare...isso não lhe parece familiar?