terça-feira, 18 de maio de 2010

Um recanto nascentes movimentam
A folhagem, mata sutil recobre e reveste
O espaço vazio
Águas, musgos, brejos, sapos
Aves, ventos, molduras cipós
Nos sons dos bugios
Formigas, beija-flores
Estão todos lá e aqui
Juntos...Ouça...
A mata respira você
Você respira a mata

Um comentário:

  1. Lindíssimo...Obrigada por esse momento e pelas palavras que nos conduzem.

    ResponderExcluir

Integre esse espaço...dê a sua opinião e compartilhe as suas reflexões.