sábado, 3 de abril de 2010

Piscar de olhos


Uma gota de água da chuva escorre da folhagem imperceptível da mata...é madrugada...ar fresco do início do amanhecer.
Os raios solares apontam o dia que surge...
A criança abre os olhos, o mão perdida tateia o ar e desliga o despertador..., o ônibus passa pelas ruas, a marmita é fechada, o cobrador gira a catraca...aquela mulher cochila e sua cabeça escorrega entre o banco e o vidro do ônibus...mais um dia, mais uma tarde, mais uma noite...
Lua brilha entre as nuvens...
Alguns dormem, outros ainda caminham...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Integre esse espaço...dê a sua opinião e compartilhe as suas reflexões.